Portal do Governo Brasileiro
Página InicialInformações ao ConsumidorProdutos Analisados Mangueira de Incêndio II
Produtos analisados
Relatório de análise em Whey Protein Relatório de Canetas a Laser
Fique Atento
  
.: Mangueira de Incêndio II :.

Objetivo
Justificativa
Normas e Documentos de Referência
Marcas Analisadas
Informações das Marcas Analisada

Ensaios Realizados
Principais Constatações
Resultado Final
Conclusões
Conseqüências

Objetivo

A apresentação dos resultados obtidos nos ensaios realizados em mangueira de incêndio tipo predial é parte integrante dos trabalhos do Programa de Análise de Produtos desenvolvido pelo Inmetro com os seguintes objetivos:

    1. prover mecanismos para que o Inmetro mantenha o consumidor brasileiro informado sobre a adequação dos produtos aos Regulamentos e Normas Técnicas, contribuindo para que ele faça escolhas melhor fundamentadas, tornando-o mais consciente de seus direitos e responsabilidades;
    2. fornecer subsídios para a indústria nacional melhorar continuamente a qualidade de seus produtos;
    3. diferenciar os produtos disponíveis no mercado nacional em relação à sua qualidade, tornando a concorrência mais equalizada;
    4. tornar o consumidor parte efetiva deste processo de melhoria da qualidade da indústria nacional.

Deve ser destacado que estes ensaios não se destinam a aprovar marcas ou modelos de produtos. O fato das amostras analisadas estarem ou não de acordo com as especificações contidas em uma norma/regulamento técnico indica uma tendência do setor em termos de qualidade, em um determinado tempo. A partir dos resultados obtidos, são definidas as medidas necessárias para que o consumidor tenha, à sua disposição no mercado, produtos adequados às suas necessidades.

Justificativa

Em junho de 1997, o Inmetro realizou ensaios em mangueira de incêndio tipo predial, de acordo com a norma aplicável (NBR 11861 – Mangueira de Incêndio – Especificações).

Nesta análise, observaram-se várias não conformidades nas marcas analisadas, evidenciando sérios riscos para o consumidor. Além disso, verificou-se também que a norma não era suficientemente clara em alguns pontos, sendo necessário a inclusão de novos ensaios.

Quando da divulgação dos resultados através da mídia, o Inmetro assumiu um compromisso de articular-se com as partes interessadas, em especiais com os fabricantes, objetivando implementar ações de melhoria da qualidade dos produtos.

Em reunião com fabricantes, laboratórios independentes, meio acadêmico, órgãos de defesa do consumidor e Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, foi identificada como primeira ação, a necessidade de revisar a norma específica para o produto, tornando-a mais adequada às necessidades do mercado, além de mais clara e utilizável.

A norma foi revisada e entrou em vigor em novembro de 1998, sendo dado a partir desta data, por parte do Inmetro, um prazo de sete meses para que os fabricantes se adequassem aos requisitos e para que novas amostras fossem compradas e submetidas a análise.

Esta segunda análise visa avaliar se as medidas adotadas, ou seja, divulgação dos resultados e revisão da norma, foram suficientes para que os consumidores tenham a sua disposição produtos adequados e seguros. Esta análise procura, também, avaliar a evolução da qualidade das marcas ensaiadas em 1997 e ensaiadas, novamente, na análise atual.

Normas e Documentos de Referência

NBR 11.861 - out/1998 – Mangueira de Incêndio – requisitos e métodos de ensaio;

Lei n.º 8.078, de 11/09/1990, Código de Proteção e Defesa do Consumidor - CDC.

Marcas Analisadas

A seleção das marcas a serem analisadas foi baseada nas informações fornecidas pela Associação Brasileira das Indústrias de Equipamentos contra Incêndio e Cilindros de Alta Pressão – ABIEX– e na pesquisa de mercado realizada, pelo Inmetro, no estado do Rio de Janeiro.

Buscou-se adquirir todas as marcas analisadas anteriormente com o objetivo de verificar, individualmente, a evolução da qualidade de cada uma destas marcas. Entre as marcas ensaiadas em 1997 - BSC, Hose Rio, Polipec e Resmat - as duas primeiras (BSC e Hose Rio) não foram encontradas no mercado. Em contrapartida, 4 novas marcas foram encontradas no mercado, sendo que uma importada

Informações das Marcas Analisadas

Com relação às informações contidas na homepage sobre o resultados dos ensaios, você vai observar que identificamos as marcas dos produtos analisados apenas por um período de 90 dias. Julgamos importante que você saiba os motivos:

  • As informações geradas pelo Programa de Análise de Produtos são pontuais, podendo ficar desatualizadas após pouco tempo. Em vista disso, tanto um produto analisado e julgado adequado para consumo pode tornar-se impróprio, como o inverso, desde que o fabricante tenha tomado medidas imediatas de melhoria da qualidade, como temos freqüentemente observado. Só a certificação dá ao consumidor a confiança de que uma determinada marca de produto está de acordo com os requisitos estabelecidos nas normas e regulamentos técnicos aplicáveis. Os produtos certificados são aqueles comercializados com a marca de certificação do Inmetro, objetos de um acompanhamento regular, através de ensaios, auditorias de fábricas e fiscalização nos postos de venda, o que propicia uma atualização regular das informações geradas.

  • Após a divulgação dos resultados, promovemos reuniões com fabricantes, consumidores, laboratórios de ensaio, ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnica e outras entidades que possam ter interesse em melhorar a qualidade do produto em questão. Nesta reunião, são definidas ações para um melhor atendimento do mercado. O acompanhamento que fazemos pode levar à necessidade de repetição da análise, após um período de, aproximadamente, de 1 ano. Durante o período em que os fabricantes estão se adequando e promovendo ações de melhoria, julgamos mais justo e confiável, tanto em relação aos fabricantes quanto aos consumidores, não identificar as marcas que foram reprovadas.

  • Uma última razão diz respeito ao fato de a Internet ser acessada por todas as partes do mundo e informações desatualizadas sobre os produtos nacionais poderiam acarretar sérias conseqüências sociais e econômicas para o país.

Responsáveis pelos Ensaios

Os ensaios foram realizados no Laboratório de Segurança ao Fogo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT.

Ensaios Realizados

A finalidade da mangueira de incêndio é o combate ao fogo. Portanto, a segurança do usuário deste produto está intimamente ligada ao perfeito desempenho do mesmo. Os ensaios realizados verificam a qualidade dos materiais utilizados na mangueira, o desempenho desta em situações de uso e o comportamento das mangueiras após o envelhecimento dos seus materiais componentes. Os ensaios podem ser divididos em quatro grupos:

Identificação

Verifica se a mangueira contém as informações adequadas para sua correta identificação. A mangueira deve apresentar o nome e/ou marca do fabricante, número da norma brasileira específica para o produto, tipo de mangueira, mês e ano de fabricação.

Desempenho

Os ensaios deste grupo verificam os requisitos necessários ao perfeito desempenho da mangueira. Estes ensaios simulam, com uma grande margem de segurança, situações de uso do produto.

  • pressão de prova;
  • alongamento;
  • flexão e torção;
  • dobramento;
  • perda de carga;
  • pressão de ruptura;
  • resistência à abrasão;
  • diâmetro interno;
  • resistência a superfície quente.

Materiais

Os ensaios deste grupo verificam se a qualidade dos materiais que compõe a mangueira estão adequados para o perfeito desempenho do produto.

  • tensão de ruptura;
  • alongamento de ruptura;
  • deformação permanente à tração;
  • aderência.

Envelhecimento

Os ensaios deste grupo verificam a durabilidade do produto. Estes ensaios simulam o desgaste natural dos materiais componentes da mangueira, verificando, se decorrido algum tempo após a fabricação, o desempenho da mangueira estará prejudicado pelo envelhecimento destes materiais.

  • variação da tensão de ruptura após envelhecimento;
  • variação de alongamento de ruptura após envelhecimento;
  • envelhecimento do reforço têxtil.

Principais Constatações

Com relação às análises efetuadas e os resultados obtidos cabem alguns comentários relevantes.

  • O número de marcas encontradas no mercado cresceu em relação ao ano de 1997. Apesar de não terem sido encontradas duas das quatro marcas analisadas anteriormente, foram encontradas três novas marcas, incluindo uma importada, além de duas não identificadas. Esta constatação demonstra a expansão do mercado de mangueiras de incêndio, ressaltando a importância desta nova análise.
  • Houve um aumento considerável no número de requisitos analisados. Na análise de 1997, foram realizados 7 tipos de ensaios enquanto que, no ensaio atual, foram analisados 18 requisitos. Este fato demonstra que a nova norma brasileira específica para o produto tornou-se mais abrangente, com a inclusão de novos ensaios relativos ao desempenho do produto e, por conseqüência, uma maior segurança ao usuário que adquire um produto de acordo com a norma.
  • Duas marcas analisadas não apresentavam a identificação do fabricante. Duas marcas não apresentavam a identificação dos fabricantes. Os estabelecimentos comerciais que as venderam não identificaram os fabricantes dos produtos e, por conseguinte, foram responsabilizados pelos resultados apresentados por suas respectivas mangueiras.
  • Ocorreu uma grande evolução da qualidade nas marcas analisadas anteriormente. Nos ensaios de 1997, a marca identificada como A apresentou conformidade em 15% dos ensaios realizados e a marca identificada como C apresentou conformidade em 43% dos ensaios realizados. Na análise atual, a marca C apresentou conformidade em 100% dos ensaios realizados e a marca A apresentou conformidade em 89% dos ensaios realizados.

Resultado Final

Para que uma determinada marca seja considerada conforme, esta deve atender a todos os requisitos analisados. A tabela a seguir apresenta o resultado final de cada marca.

MARCA

RESULTADO FINAL

A

não conforme

B

não conforme

C

conforme

D

não conforme

E

não conforme

F

não conforme

 

Conclusões

Os resultados obtidos podem ser analisados em aspectos distintos.

Em primeiro lugar, cabe ressaltar a melhora significativa obtida na norma brasileira revisada em relação à norma anterior. A nova norma tornou-se mais abrangente com a inclusão de novos ensaios relativos ao desempenho do produto proporcionando, por conseqüência, uma maior segurança ao usuário que adquire um produto de acordo com a norma.

Um segundo aspecto é a grande evolução da qualidade das marcas ensaiadas em 1997 e analisadas novamente. Na análise atual, uma das marcas apresentou conformidade em 100% dos ensaios realizados contra 47% de conformidade na primeira análise.

E, finalmente, apesar da melhoria individual das marcas analisadas anteriormente, as análises atuais ainda apresentaram resultados gerais preocupantes. Das 6 (seis) marcas analisadas, apenas uma foi considerada conforme em todos os ensaios realizados. As demais marcas apresentaram, no mínimo, duas não conformidades entre os 18 requisitos analisados.

Pelos resultados obtidos, demonstrando que as medidas tomadas após a primeira análise não foram suficientes e que os problemas de qualidade nas mangueiras de incêndio usadas nas instalações prediais persistem, sendo um produto de extrema importância para segurança da população, o Inmetro encaminhará à Comissão Técnica de Saúde e Segurança do Consumidor do Comitê Brasileiro de Certificação a proposta de implantação de um processo de certificação compulsória (obrigatória) do produto.

A certificação compulsória consiste, genericamente, na obrigatoriedade de toda mangueira de incêndio, colocada no mercado, cumprir os requisitos da norma, ou seja, é um indicador para os consumidores de que o produto atende a padrões mínimos de qualidade.

 

Conseqüências

DATA

AÇÕES

13/02/2000

Divulgação no Programa Fantástico da Rede Globo de Televisão

20/03/2000

Reunião com representantes do setor produtivo, do laboratório responsável pelos ensaios e do INMETRO com o objetivo de definir de medidas de melhoria para o setor.

 

Principais Definições: O setor vai buscar a certificação voluntária do produto.

Até Maio/2001, 02 (duas) marcas conseguiram certificar o produto voluntariamente. Para maiores detalhes entrar em contato com a Divisão de Programas de Avaliação da Conformidade - DIPAC da Diretoria de Credenciamento e Qualidade - DQUAL.

 

Veja Também:

Mangueira de Incêndio

 

Acessibilidade
Acidente de Consumo: relate seu caso
Alerta Exportador!
Anuência - Importação
Atividades de Ensaios de Proficiência do Inmetro
Biocombustíveis
Carta de Serviços ao Cidadão
Cartilha Plugues e Tomadas
Consultas Públicas
Documentos Orientativos sobre Certificação ISO 9001:2008
Empresas Certificadas ISO 9001
Empresas Certificadas ISO 14001
Indique! Sugestão para o Programa de Análise de Produtos
Instaladores Registrados de Gás Natural Veicular (GNV)
Mapa de Localização do Campus
Marca, Símbolos e Selos Inmetro
Organismos de Certificação e de Inspeção Acreditados
Ouvidoria
Padronização de Produtos Pré-Medidos
Plugues e Tomadas
Portarias e Regulamentos Técnicos Metrológicos e de Avaliação da Conformidade
Produtos Analisados
Produtos e Serviços com Conformidade Avaliada
Programa Brasileiro de Avaliação da Conformidade - PBAC
Publicações
Sistema de Consulta de Recalls (DPDC)
Tabelas de Eficiência Energética - PBE


Nossos Endereços

  • Prédio da Rua Santa Alexandrina

    PABX: (21) 2563-2800

    Rua Santa Alexandrina, 416

    Rio Comprido - Rio de Janeiro - RJ

    CEP: 20261-232

  • Campus Xerém

    PABX: (21) 2679-9001

    Av. Nossa Senhora das Graças, 50

    Xerém - Duque de Caxias - RJ

    CEP: 25250-020

  • Prédio da Rua Estrela

    PABX: (21) 3216-1000

    Rua Estrela, 67

    Rio Comprido - Rio de Janeiro - RJ

    CEP: 20251-900

  • Superintendência de Goiás - Surgo

    PABX: (62) 3237-3500

    Av. Berlim, 627

    Setor Sul - Goiânia - GO

    CEP: 74170-110

  • Brasília

    PABX: (61) 3340-1710

    EQN 102/103 - Lote 1, Asa Norte

    Brasília - DF

    CEP: 70722-400

  • Superintendência do R. G. do Sul - Surrs

    PABX: (51) 3342-1155

    Rua 148, s/nº

    São Geraldo - Porto Alegre - RS

    CEP: 90240-581

Inmetro © 1993 - 2012. Todos os direitos reservados.