Portal do Governo Brasileiro
Página InicialInformações ao ConsumidorProdutos Analisados Escada Doméstica Metálica de 5 degraus
Produtos analisados
Relatório de análise em Whey Protein Relatório de Análise em Whey Protein
Fique Atento
  
.: Escada Doméstica Metálica de 5 degraus :.

Resumo da Análise
Normas e Documentos de Referência
Responsáveis pelos Ensaios
Marcas Analisadas
Informações sobre as Marcas Analisadas
Ensaios Realizados e Resultados Obtidos
Comentários
Conclusões
Conseqüências

Resumo da Análise

Na Inglaterra, o Serviço Nacional de Saúde tem um custo estimado em 450 milhões de Libras, por ano, com tratamento de lesões causadas por acidentes domésticos.

Neste mesmo país, em 1995, os feridos devido a acidentes domésticos somaram 37% de todos os feridos atendidos em hospitais. Entre todos os tipos de acidentes domésticos, as quedas somam mais de 38%.

No Brasil, não existem estatísticas sobre acidentes domésticos, porém acredita-se que estes índices sejam semelhantes ou superiores aos da Inglaterra.

As escadas domésticas metálicas, utilizadas em residências, para consertos ocasionais e pequenos serviços domésticos, e em estabelecimentos comerciais, para pequenos serviços de manutenção, apresentam, pela sua característica intrínseca de uso, um potencial de risco à segurança do usuário.

A análise realizada em escada doméstica metálica objetiva verificar a conformidade destes produtos disponíveis no mercado nacional em relação aos requisitos de segurança, ou seja, verificar se o consumidor tem acesso a produtos seguros e que atendam às suas necessidades.

Deve ser destacado que estes ensaios não se destinam a aprovar marcas ou modelos de produtos. O fato das amostras analisadas estarem ou não de acordo com as especificações contidas em uma norma técnica indica uma tendência do setor em termos de qualidade. A partir dos resultados obtidos, são definidas as medidas necessárias para que o consumidor tenha, à sua disposição no mercado, produtos adequados às suas necessidades.

Normas e Documentos de Referência

Os ensaios verificaram a conformidade das amostras de escadas domésticas analisadas com as seguintes normas:

  • Lei n.º 8.078, de 11 de setembro de 1990, Código de Proteção e Defesa do Consumidor;
  • NBR 13430, de 1995 – Projeto e fabricação de escada doméstica metálica.

Responsáveis pelos Ensaios

Os ensaios foram realizados pelo Laboratório de Ensaios Mecânicos do Instituto Nacional de Tecnologia – INT, laboratório credenciado pela Coordenação Geral de Credenciamento do Inmetro, localizado no Rio de Janeiro – RJ.

Marcas Analisadas

Foram analisadas 7 (sete) marcas de escada doméstica metálica, todas com 5 (cinco) degraus. A tabela a seguir relaciona os fabricantes que tiveram suas marcas analisadas.

Informações sobre as Marcas Analisadas

Com relação às informações contidas na homepage sobre o resultados dos ensaios, você vai observar que identificamos as marcas dos produtos analisados apenas por um período de 30 dias. Julgamos importante que você saiba os motivos:

  • As informações geradas pelo Programa de Análise de Produtos são pontuais, podendo ficar desatualizadas após pouco tempo. Em vista disso, tanto um produto analisado e julgado adequado para consumo pode tornar-se impróprio, como o inverso, desde que o fabricante tenha tomado medidas imediatas de melhoria da qualidade, como temos freqüentemente observado. Só a certificação dá ao consumidor a confiança de que uma determinada marca de produto está de acordo com os requisitos estabelecidos nas normas e regulamentos técnicos aplicáveis. Os produtos certificados são aqueles comercializados com a marca de certificação do Inmetro, objetos de um acompanhamento regular, através de ensaios, auditorias de fábricas e fiscalização nos postos de venda, o que propicia uma atualização regular das informações geradas.
  • Após a divulgação dos resultados, promovemos reuniões com fabricantes, consumidores, laboratórios de ensaio, ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnica e outras entidades que possam ter interesse em melhorar a qualidade do produto em questão. Nesta reunião, são definidas ações para um melhor atendimento do mercado. O acompanhamento que fazemos pode levar à necessidade de repetição da análise, após um período de, aproximadamente, de 1 ano. Durante o período em que os fabricantes estão se adequando e promovendo ações de melhoria, julgamos mais justo e confiável, tanto em relação aos fabricantes quanto aos consumidores, não identificar as marcas que foram reprovadas.
  • Uma última razão diz respeito ao fato de a internet ser acessada por todas as partes do mundo e informações desatualizadas sobre os produtos nacionais poderiam acarretar sérias conseqüências sociais e econômicas para o país.

Ensaios Realizados e Resultados Obtidos

Os ensaios descritos e os parâmetros estabelecidos pela Norma NBR 13430 determinam a adequação ao uso e a estabilidade das escadas analisadas (requisitos dimensionais), verificando, ainda, as matérias-primas e simulando as condições de utilização do produto (requisitos mecânicos).

REQUISITOS DIMENSIONAIS

Estes ensaios verificam as características dimensionais das escadas, procurando avaliar se estas dimensões oferecem a estabilidade e a segurança necessárias para os usuários.

As escadas ensaiadas devem apresentar as dimensões de acordo com os parâmetros, máximos e mínimos, discriminados pela norma. Foram avaliadas as seguintes dimensões:

1) tamanho da escada (comprimento da lateral dianteira, incluindo a porção da lateral que fica acima do degrau mais alto e o pé);

2) inclinação (medida da projeção, na horizontal, de um comprimento igual a 300 mm, marcada sobre as laterais dianteira e traseira);

3) largura da escada (medida do vão livre entre as laterais dianteiras, determinada no degrau mais alto);

4) convergência (aumento na medida do vão livre entre as laterais dianteiras a cada 500 mm de comprimento destas laterais, medido do topo para o pé da escada);

5) largura do degrau;

6) distância de apoio frontal (medida do vão livre entre os pés dianteiros da escada);

7) distância de apoio lateral (medida do vão livre entre os pés dianteiro e traseiro);

8) espaçador e/ou trava (o espaçador e/ou trava da escada, na posição aberta, deve estar localizado no máximo a uma altura de 1700 mm da superfície de apoio da escada);

9) espaçamento entre os degraus (medida, na vertical, entre os planos superiores de dois degraus consecutivos, com a escada totalmente aberta);

10) espaçamento entre o piso e o primeiro degrau (medida, na vertical, entre o plano do piso e o plano superior do primeiro degrau, com a escada na posição totalmente aberta).

Para que uma determinada amostra de escada seja considerada conforme, esta deve atender a todos os critérios descritos acima.

A tabela 1 relaciona os resultados obtidos nos requisitos dimensionais. Os valores destacados indicam não conformidades.

REQUISITOS MECÂNICOS

Estes requisitos têm como objetivo verificar as características construtivas (matéria-prima e montagem) da escada, simulando, com uma margem de segurança, situações de uso do produto (ato de subir/descer com ou sem utensílios), desde sua utilização normal até situações de risco praticadas pelos usuários. As não conformidades detectadas nestes ensaios indicam risco à segurança do usuário durante a utilização do produto.

Os ensaios realizados foram divididos em dois grupos:

1) Compressão, Resistência à flexão do degrau e Resistência ao cisalhamento entre o degrau e a lateral – verificam a resistência dos degraus da escada e sua estrutura, simulando o peso do usuário e dos utensílios utilizados por este.

Para a realização destes ensaios utiliza-se o valor da carga nominal de trabalho (massa do usuário acrescida da massa dos utensílios a que pode ser submetida a escada durante o seu uso), multiplicado por três, como parâmetro de aceitação/rejeição. De acordo com a NBR 13430, esta informação deve ser indicada pelo fabricante na rotulagem do produto.

Somente as marcas Pirilampo (carga nominal = 80 kg), Alustep (carga nominal = 100 kg) e Patriarca (carga nominal = 120 kg) informavam os valores da carga nominal de trabalho. Para as marcas que não indicavam este valor, foi utilizado como parâmetro a carga nominal de trabalho máxima encontrada nas marcas analisadas, ou seja, 120 kg.

Ao final destes ensaios, a presença de avarias físicas, recuperáveis ou não, tais como fraturas, rupturas, rachaduras ou empenos, indicam que as amostras de escadas analisadas estão não conformes.

2) Estabilidade frontal, Estabilidade traseira, Estabilidade torcional, Estrutura e Escorregamento – verificam a estabilidade da escada, simulando o ato de subir e descer.

Ao final destes ensaios, a ocorrência de tombamento e/ou escorregamento das escadas indicam que as amostras estão não conformes.

Para que uma determinada amostra de escada seja considerada conforme em relação aos requisitos mecânicos, esta deve atender a todos os critérios descritos acima (itens 1 e 2).

Comentários

A informação sobre a carga nominal de trabalho máxima que a escada pode ser submetida durante seu uso é essencial para a segurança do consumidor.

Esta informação, que deve ser fornecida pelo fabricante na rotulagem do produto, indica a massa do usuário acrescida da massa dos utensílios a que pode ser submetida a escada, durante o seu uso, sem deformação da sua estrutura.

Conclusões

Os resultados dos ensaios indicam que as escadas domésticas metálicas, disponíveis no mercado nacional, não estão de acordo com os requisitos da norma brasileira específica para o produto.
Todas as 7 (sete) marcas analisadas apresentaram não conformidades tanto nos requisitos dimensionais quanto nos requisitos mecânicos.

A elevada incidência de não conformidades, denotando um potencial risco à segurança do usuário, indica a necessidade de ser agendada reunião com as partes interessadas (fabricantes, representantes dos consumidores, laboratórios independentes e Associação Brasileira de Normas Técnica – ABNT), objetivando definir ações aplicáveis.

Dentre as ações eventualmente aplicáveis, devem ser consideradas a revisão da norma brasileira, que revela a necessidade de uma maior clareza nos requisitos ligados à segurança dos usuários de escadas domésticas metálicas, e a conveniência de se criar um programa de melhoria da qualidade específico para o setor.

Conseqüências

Data

Ações

31/02/1999

Divulgação no Programa Fantástico da Rede Globo de Televisão

23/02/1999

Criação de Comissão Técnica no âmbito da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT responsável pela revisão da norma brasileira NBR 13430 - Projeto e Fabricação de Escada Doméstica Metálica.

29/12/2000

Publicação da revisão da Norma Técnica NBR 13430

Veja Também:

Escadas Domésticas Metálicas

Acessibilidade
Acidente de Consumo: relate seu caso
Alerta Exportador!
Anuência - Importação
Atividades de Ensaios de Proficiência do Inmetro
Biocombustíveis
Carta de Serviços ao Cidadão
Cartilha Plugues e Tomadas
Consultas Públicas
Documentos Orientativos sobre Certificação ISO 9001:2008
Empresas Certificadas ISO 9001
Empresas Certificadas ISO 14001
Indique! Sugestão para o Programa de Análise de Produtos
Instaladores Registrados de Gás Natural Veicular (GNV)
Mapa de Localização do Campus
Marca, Símbolos e Selos Inmetro
Organismos de Certificação e de Inspeção Acreditados
Ouvidoria
Padronização de Produtos Pré-Medidos
Plugues e Tomadas
Portarias e Regulamentos Técnicos Metrológicos e de Avaliação da Conformidade
Produtos Analisados
Produtos e Serviços com Conformidade Avaliada
Programa Brasileiro de Avaliação da Conformidade - PBAC
Publicações
Sistema de Consulta de Recalls (DPDC)
Tabelas de Eficiência Energética - PBE


Nossos Endereços

  • Prédio da Rua Santa Alexandrina

    PABX: (21) 2563-2800

    Rua Santa Alexandrina, 416

    Rio Comprido - Rio de Janeiro - RJ

    CEP: 20261-232

  • Campus Xerém

    PABX: (21) 2679-9001

    Av. Nossa Senhora das Graças, 50

    Xerém - Duque de Caxias - RJ

    CEP: 25250-020

  • Prédio da Rua Estrela

    PABX: (21) 3216-1000

    Rua Estrela, 67

    Rio Comprido - Rio de Janeiro - RJ

    CEP: 20251-900

  • Superintendência de Goiás - Surgo

    PABX: (62) 3237-3500

    Av. Berlim, 627

    Setor Sul - Goiânia - GO

    CEP: 74170-110

  • Brasília

    PABX: (61) 3340-1710

    EQN 102/103 - Lote 1, Asa Norte

    Brasília - DF

    CEP: 70722-400

  • Superintendência do R. G. do Sul - Surrs

    PABX: (51) 3342-1155

    Rua 148, s/nº

    São Geraldo - Porto Alegre - RS

    CEP: 90240-581

Inmetro © 1993 - 2012. Todos os direitos reservados.