Portal do Governo Brasileiro
Página InicialInformações ao ConsumidorProdutos Analisados Ovos de Páscoa Diet
Fique Atento
  
.: Ovos de Páscoa Diet :.


Objetivo
Justificativa
Curiosidade Sobre a Origem dos Principais Símbolos da Páscoa
Normas e Documentos de Referência
Laboratório Responsável pelos Ensaios
Marcas Analisadas
Ensaio Realizado e Resultados Obtidos
Resultado Geral
Posicionamento dos Fabricantes
Conclusões
Conseqüências

Objetivo

A apresentação dos resultados obtidos nos ensaios realizados em amostras de 03 (três) diferentes marcas de ovo de Páscoa diet consiste em uma das etapas do Programa de Análise de Produtos, coordenado pela Divisão de Orientação e Incentivo à Qualidade do Inmetro e que tem por objetivos:
     
     a) prover mecanismos para que o Inmetro mantenha o consumidor brasileiro informado sobre a adequação dos produtos e serviços aos Regulamentos e às Normas Técnicas, contribuindo para que ele faça escolhas melhor fundamentadas, tornando-o mais consciente de seus direitos e  responsabilidades;
     b) fornecer subsídios para a indústria nacional melhorar continuamente a qualidade de seus produtos, tornando-a mais competitiva;
     c) diferenciar os produtos disponíveis no mercado nacional em relação à sua qualidade, tornando a concorrência mais equalizada;
     d) tornar o consumidor parte efetiva deste processo de melhoria da qualidade da indústria nacional.

Deve ser destacado que estes ensaios não se destinam a aprovar marcas, modelos ou lotes de produtos. O fato das amostras analisadas estarem ou não de acordo com as especificações contidas em uma norma/regulamento técnico, indica uma tendência do setor em termos de qualidade. Além disso, as análises coordenadas pelo Inmetro, através do Programa de Análise de Produtos, têm caráter pontual, ou seja, são uma "fotografia" da realidade, pois ela retrata a situação do mercado naquele período em que as análises são conduzidas.


Justificativa

Desde o início da comercialização dos produtos Diet, a maior parte das pessoas associa estes tipos de produtos como sendo de baixo valor calórico e, portanto, indicados para pessoas que precisam perder peso. Com a chegada dos produtos Light ao mercado, a confusão ficou ainda maior.

Diabéticos, hipertensos, pessoas com nível de colesterol alto ou com excesso de peso podem consumir produtos light ou diet?

Segundo a portaria nº 29/11/98, da Secretaria de Vigilância Sanitária, o termo Diet pode, opcionalmente, ser utilizado em alimentos produzidos de forma que sua composição atenda às necessidades de indivíduos com exigências físicas e/ou que sofrem de doenças específicas. Nesses casos podem ser incluídos os alimentos indicados para as dietas com restrição de nutrientes: carboidratos, gorduras, proteínas, sódio; os alimentos exclusivamente empregados para controle de peso; e os alimentos para dieta de ingestão controlada de açúcares.

Os alimentos para dietas controladas não podem ter adição de nutrientes. Assim, alimentos para ingestão controlada de açúcar, não podem ter a inclusão desse nutriente, sendo permitida a existência do açúcar natural do alimento como, por exemplo, o açúcar natural do cacau, no caso do chocolate.

Os alimentos restritos em carboidratos, como pão e chocolate, ou gorduras, como iogurtes desnatados com 0% de gordura, podem conter, no máximo, a adição de 0,5g desses nutrientes por 100g ou 100ml do produto. Já os alimentos restritos em proteínas devem ser isentos desse nutriente.

É importante que fique claro que nem todos os produtos denominados como diet apresentam diminuição significativa na quantidade de calorias e, portanto, devem ser evitados pelas pessoas que querem emagrecer. Um exemplo clássico é o chocolate diet que apresenta teor calórico próximo ao do chocolate normal. O chocolate diet é indicado para as pessoas diabéticas pois é isento (restrito) em açúcar (carboidrato), mas não para as pessoas que desejam reduzir de peso, já que no chocolate diet há uma maior adição de gordura, o que faz com que seu valor calórico se aproxime ao do chocolate normal.

Portanto, com a retirada ou redução de algum nutriente, o alimento pode vir a apresentar uma diminuição de calorias, e o consumidor que deseja emagrecer deve estar atento à tabela nutricional, que é obrigatória nestes tipos de produtos, e verificar se esta redução é significativa e justifica a substituição do alimento convencional pelo diet, que costumam ser mais caros que os convêncionais.

Com a proximidade da Páscoa, o Inmetro decidiu analisar os ovos de páscoa diet, para verificar o atendimento deste produto à legislação vigente. É importante informar que o Inmetro irá fazer, ainda este ano, uma análise mais completa, em diversos produtos light e diet, na qual, além de verificar o atendimento à legislação, irá dar um esclarecimento mais detalhado a respeito da diferença entre estes produtos.

Fontes de Consultas:

http://www.umesp.edu.br/rtv/dietas/DIET%20LIGHT.htm
http://www.uol.com.br/cyberdiet/colunas/cl_mt_alimentos_dl.htm

Curiosidade Sobre a Origem dos Principais Símbolos da Páscoa

A Páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. Depois de morrer na cruz, seu corpo foi colocado em um sepulcro, onde ali permaneceu, até sua ressurreição, quando seu espírito e seu corpo foram reunificados. É o dia santo mais importante da religião cristã, quando as pessoas vão às igrejas e participam de cerimônias religiosas.

Muitos costumes ligados ao período pascal originam-se dos festivais pagãos da primavera. Outros vêm da celebração do Pessach, ou Passover, a Páscoa judaica. É uma das mais importantes festas do calendário judaico, que é celebrada por 8 dias e comemora o êxodo dos israelitas do Egito durante o reinado do faraó Ramsés II, da escravidão para a liberdade. Um ritual de passagem, assim como a "passagem" de Cristo, da morte para a vida.

A festa tradicional associa a imagem do coelho, um símbolo de fertilidade, e ovos pintados com cores brilhantes, representando a luz solar, dados como presentes. A origem do símbolo do coelho vem do fato de que os coelhos são notáveis por sua capacidade de reprodução. Como a Páscoa é ressurreição, é renascimento, nada melhor do que coelhos, para simbolizar a fertilidade.

A tradição do coelho da Páscoa foi trazida à América por imigrantes alemães em meados de 1700. O coelho visitava as crianças, escondendo os ovos coloridos que elas teriam de encontrar na manhã de Páscoa.

No antigo Egito, o coelho simbolizava o nascimento e a nova vida. Alguns povos da Antigüidade o consideravam o símbolo da Lua. É possível que ele tenha ser tornado símbolo pascal devido ao fato da Lua determinar a data da Páscoa.

Bem, o ovo também simboliza o nascimento, a vida que retorna. O costume de presentear as pessoas na época da Páscoa com ovos ornamentados e coloridos começou na Antigüidade. Eram verdadeiras obras de arte!

Os egípcios e persas costumavam tingir ovos com as cores primaveris e os davam a seus amigos. Os persas acreditavam que a Terra saíra de um ovo gigante.

Os cristãos primitivos da Mesopotâmia foram os primeiros a usar ovos coloridos na Páscoa. Em alguns países europeus, os ovos são coloridos para representar a alegria da ressurreição. Na Grã-Bretanha, costumava-se escrever mensagens e datas nos ovos dados aos amigos. Na Alemanha, os ovos eram dados às crianças junto de outros presentes na Páscoa. Na Armênia, decoravam ovos ocos com retratos de Cristo, da Virgem Maria e de outras imagens religiosas.
No século XIX, ovos de confeito decorados com uma janela em uma ponta e pequenas cenas dentro eram presentes populares.

Mas os ovos ainda não eram comestíveis. Pelo menos, não como a gente conhece hoje, com todo aquele chocolate. Atualmente, as crianças encontram ovos de chocolate ou "ninhos" cheios de doces nas mesas na manhã de Páscoa. No Brasil, as crianças montam seus próprios "cestinhos de Páscoa", enchem-no de palha ou papel, esperando o coelhinho deixar os ovinhos durante a madrugada.
Nos Estados Unidos e em outros países, as crianças saem na manhã de Páscoa pela casa ou pelo quintal em busca dos ovinhos escondidos. Em alguns lugares, os ovos são escondidos em lugares públicos e as crianças da comunidade são convidadas a encontrá-los, celebrando uma festa comunitária.

Fonte Consultada: http://aquinta.espigueiro.pt/espiguinha/pagina_pascoa/origensetradicoes.html


Normas e Documentos de Referência

Para a realização dos ensaios foram utilizadas os seguintes documentos de referência:
  
   - Portaria SVS/MS nº 29/98 - Alimentos para Fins Especiais e o Padrão de Identidade e Qualidade
     do Produto.
   - Resolução ANVS/MS nº 40/01 - Regulamento Técnico para Rotulagem Nutricional Obrigatória de      Alimentos e Bebidas Embalados.

Laboratório Responsável pelos Ensaios

Os ensaios foram realizados pelo SFDK Laboratório de Análise de Produtos S/C Ltda., integrante da Rede Nacional de Laboratórios Oficiais de Controle da Qualidade em Saúde, credenciado pelo Inmetro, pelo Ministério da Saúde, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, pela Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo e pela ABIA - Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação.

Marcas Analisadas

A análise foi precedida de uma pesquisa de mercado realizada no estado do Rio de Janeiro, onde foram encontradas 03 marcas de ovos de Páscoa diet, que foram compradas para que fossem submetidas aos ensaios de conformidade.

A tabela a seguir relaciona os fabricantes e as marcas que tiveram amostras de seus produtos analisadas, bem como os locais onde os produtos foram adquiridos.

Marcas

Fabricantes

Origem

Local de Compra

Origem

A

Fabricante A

ES

Sendas S/A

RJ

B

Fabricante B

SP

Loja Kopenhagem

RJ

C

Fabricante C

SP

Sendas S/A

RJ

 

Ensaio Realizado e Resultados Obtidos

7.1 Rotulagem

Esta análise teve por objetivo verificar se as informações fornecidas no rótulo dos produtos estão de acordo com os regulamentos técnicos vigentes.

A tabela abaixo mostra o resultado dos valores encontrados na análise, em 30g do produto, em comparação com os indicados nos rótulos dos produtos.

Ovos de chocolate para dietas com Ingestão controlada de açúcares

Ovos de chocolate para dietas com restrição de açúcares

Marca A

Marca C

Marca B

Nutrientes

Informado

Encontrado

Informado

Encontrado

Informado

Encontrado

Açúcares – Sacarose

-

Não Detectado

-

Não Detectado

-

Não Detectado

Açúcares – Lactose

3g

3,36g

4g

3,72g

Não informado

4,11g

Colesterol

< 5mg

3mg

<5mg

3mg

9mg

7mg

Gorduras Totais

10g

11g

10g

10g

13g

13g

Gordura Saturada

6g

6g

5g

6g

8g

8g

Proteína

2g

2g

2g

2g

3g

3g

Ferro

0,3mg

1,02mg

0,33mg

0,54mg

1mg

1,14mg

Carboidrato

17g

15g

17g

16g

12g

11g

Cálcio

49mg

42mg

43mg

50,2mg

72mg

98mg

Sódio

0mg

19mg

0mg

24mg

34mg

42mg

Fibra Alimentar Total

<1g

1g

0g

1g

1g

1g

RESULTADO

Conforme

Conforme

Não Conforme

Conforme destacado na tabela acima, em nenhuma das amostras analisadas foi detectada a presença de sacarose, o que indica que não houve adição de açúcar aos produtos.

A não conformidade apontada na tabela acima, no ovo de chocolate da marca B, se deve pelos seguintes fatos:

  • Nas informações nutricionais presentes no rótulo do produto, não há indicação da presença de açúcares na sua composição, sendo que foi verificado na análise, 13,7g/100g de lactose. Conforme item 2.10 da Resolução RDC nº 40/01, os açúcares são "todos os monossacarídeos e dissacarídeos metabolizados pelo organismo humano", o que inclui a lactose.
  • No rótulo do produto, encontrava-se a expressão: "Não contém açúcares", o que se trata de uma informação enganosa, já que foi detectada a presença deste nutriente.
  • O ovo de chocolate diet da marca B é declarado com sendo para dietas com restrição de açúcares. Segundo a Portaria SVS/MS nº 29/98, para o produto ter esta denominação deve conter no máximo 0,5g (zero vírgula cinco gramas) de qualquer tipo de açúcar (mono ou dissacarídeo) em 100g ou 100ml do produto. Portanto, como foi detectado a presença de 13,7g de lactose em 100g do produto o ovo de chocolate analisado não pode ter esta denominação.
  • Deveria conter no rótulo, conforme item 8.2.4 da Portaria SVS/MS nº 29/98, a seguinte expressão: "Diabéticos: contém lactose".

Informamos que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, esclarece que para os alimentos denominado como sendo para dieta com ingestão controlada de açúcares, como são os casos dos ovos da marca C e da marca A, é permitido a presença de açúcar proveniente dos ingredientes utilizados, e que neste caso, o fabricante deve indicá-lo na tabela nutricional, além de incluir as seguintes expressões: "Diabéticos: contém (especificar o mono ou dissacarídeo)" e Consumir, preferencialmente, sob orientação de nutricionista ou médico". As duas marcas, C e A, foram consideradas conformes com a legislação.

Cabe destacar que a legislação permite um erro de 20%, para mais ou para menos, no valor informado na rotulagem em relação ao encontrado na análise. Nos poucos casos em que esta diferença não foi atendida, cujos valores estão em negrito na tabela, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão fiscalizador e regulamentador do produto, se pronunciou informando que é permitida uma adição maior dos nutrientes, para que se consiga garantir o informado na rotulagem, sendo que os valores encontrados não põem em risco à saúde dos consumidores.

Resultado Geral

A tabela abaixo relaciona o resultado de cada marca analisada, a situação das marcas analisadas em relação ao ensaio de rotulagem analisada e a conclusão final.

Marcas

Rotulagem

Conclusão

A

Conforme

Conforme

B

Não Conforme

Não Conforme

C

Conforme

Conforme

Posicionamento dos Fabricantes

Após a conclusão dos ensaios, os fabricantes, que tiveram amostras de seus produtos analisadas, receberam, do Inmetro, os laudos de seus respectivos produtos, tendo sido concedido prazo de 07 (sete) dias para que se manifestassem a respeito dos resultados obtidos.

A seguir, são relacionados os fabricantes/importadores que se manifestaram formalmente, através de fax enviado ao Inmetro, e trechos de seus respectivos posicionamentos.

Fabricante B (ovo de chocolate para dietas com restrição de açúcares – Marca B)

" Vimos pela presente esclarecer algumas dúvidas em relação ao fax recebido.

... O nosso produto é um chocolate para dietas com restrição de açúcares...

... Através do laudo elaborado pela SFDK, pudemos constatar que o elevado teor de carboidrato e consequentemente o alto teor de açúcares redutores expressos como lactose, é proveniente do leite em pó integral.

A lactose é o hidrato de carbono (ou açúcar) do leite..

... A formulação do nosso chocolate possui também o manitol...O manitol é classificado como edulcorante, podendo ser adicionado sem limite a alimentos dietéticos...

...Sabe-se que os alimentos DIET (com restrição de açúcares) são isentos de sacarose, podendo ser ricos em amido, frutose e lactose que podem ser transformados pelo organismo em glicose.

Portanto, cabe ao diabético seguir a orientação médica para o consumo desse produto como é colocado no rótulo...".

Inmetro: Em resposta ao seu fax, datado de 16/04/2003, informamos que, conforme documento emitido pela Anvisa, estamos considerando as seguintes não conformidades no Ovo de Chocolate para Dietas com Restrição de Açúcares – Diet da marca B :

  • A expressão "Não contém açúcares", visto que segundo o laudo de análise já enviado, verificou-se a presença de 13,7g/100g de lactose na composição do produto;
  • A expressão "Diabéticos: é aconselhável o uso deste produto sob orientação médica", pois deve ser informado quais açúcares estão presentes no produto, de acordo com o item 8.2.4 da Portaria nº 29/98. A frase correta seria: "Diabéticos: contém lactose"
  • A tabela nutricional deveria conter o teor dos açúcares presentes no produto, conforme item 4.13 da resolução RDC nº 40/2001;
  • O produto não pode ser declarado como para dietas com restrição de açúcares, pois possui 13,7g/100g de lactose.

Fabricante C (ovo de chocolate para dieta com ingestão controlada de açúcares – Marca C)

"...Os valores analíticos apresentados demonstram que nosso produto está de acordo com a Portaria nº 29/98 item 2.2.2d, alimentos para Dietas de Ingestão Controlada de Açúcares, atendendo ao item 4.2.4 que estabelece: Alimentos especialmente formulados para atender às necessidades de pessoas que apresentam distúrbios do metabolismo de açúcares, não devendo ser adicionados açúcares. É permitida a presença dos açúcares naturalmente existentes na matéria-prima...".

 

Conclusões

De acordo com os resultados obtidos, concluímos que o OVO DE CHOCOLATE PARA DIETA COM RESTRIÇÃO DE AÇÚCARES DA MARCA KOPENHAGEN está não conforme em relação à legislação vigente, não podendo ter esta denominação, por conter açúcar - lactose acima do permitido pela portaria.
As outras duas marca de OVOS DE CHOCOLATE PARA DIETAS COM INGESTÃO CONTROLADA DE AÇÚCARES - NESTLÉ E GAROTO - estão conforme em relação à legislação vigente.
Os resultados foram enviados à Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão fiscalizador e regulamentador do produto, para conhecimento e análise.

Conseqüências

Data
Ações
20/04/2003
 Divulgação no Jornal O GLOBO


Veja Também:

Ovos de Páscoa


Nossos Endereços

  • Rio de Janeiro
    PABX: (21) 2563-2800
    Rua Santa Alexandrina, 416
    Rio Comprido - Rio de Janeiro - RJ
    CEP: 20261-232

  • Campus Xerém
    PABX: (21) 2679-9001
    Av. Nossa Senhora das Graças, 50
    Xerém - Duque de Caxias - RJ
    CEP: 25250-020

  • Superintendência de Goiás - Surgo
    PABX: (62) 3237-3500
    Rua 148, s/n
    Setor Sul - Goiânia - GO
    CEP: 74170-110

  • Superintendência do R. G. do Sul - Surrs
    PABX: (51) 3342-1155
    Av. Berlim, 627
    São Geraldo - Porto Alegre - RS
    CEP: 90240-581

  • Brasília
    PABX: (61) 3340-1710
    Setor de Indústrias Gráficas - Quadra 1, lote 985, 1º andar, Edifício Centro Empresarial Parque Brasília
    Brasília - DF
    CEP: 70610-410

Inmetro © 1993 - 2012. Todos os direitos reservados. Ícones de mídias sociais feitos por SimpleIcon from www.flaticon.com licenciado por CC 3.0 BY