Portal do Governo Brasileiro
Página InicialInformações ao ConsumidorProdutos Analisados Forno de Microondas
Produtos analisados
Relatório Sobre Análise em Garrafas Térmicas Para Uso Doméstico Relatório Sobre Análise em Garrafas Térmicas Para Uso Doméstico
Fique Atento
  
.: Forno de Microondas :.

Resumo da Análise
Normas e Documentos de Referência
Laboratório Responsável pelos Ensaios
Marcas  Analisadas
Informações sobre as marcas analisadas
Ensaios Realizados e Resultados Observados
Comentários
Conclusões
Conseqüências

Resumo da Análise

A análise de conformidade realizada no produto forno de microondas vai ao encontro do Procedimento Geral do Programa de Análise de Produtos do Inmetro quanto à seleção dos produtos, priorizando aqueles de consumo intensivo e extensivo pela sociedade e que estejam relacionados à questões que envolvam a saúde e a segurança da população.

microondas1.gif (7767 bytes) Como a maioria das grandes invenções atuais, o forno de microondas foi criado a partir de uma tecnologia já utilizada para outros fins. As microondas eram utilizadas, originalmente, em radares, durante a Segunda Guerra Mundial, com o objetivo de detectar frotas inimigas invasoras, dada a sua característica de refletir em superfícies metálicas.
Modelo do primeiro Forno de Microondas (1947)

Outra característica básica das microondas é o seu efeito térmico (calor), utilizado no cozimento de alimentos.

As microondas são um tipo de energia radiante e, assim como as ondas de rádio, a luz visível, o infra-vermelho e a eletricidade, fazem parte do espectro eletromagnético, ou seja, são uma forma de radiação eletromagnética. São classificadas como radiação não-ionizante, pois, diferentemente dos raios-X e dos raios Alfa, Beta e Gama, seus efeitos são estritamente térmicos e, portanto, não alteram a estrutura molecular do item que está sendo irradiado.

O princípio básico das microondas é o cozimento por vibração molecular. Elas penetram superficialmente nos alimentos, numa profundidade que varia de 2 a 4 centímetros, fazendo vibrar as moléculas de água, gordura e açúcar, aquecendo-os. O calor é transmitido para as moléculas mais profundas por condução, ou seja, as moléculas que vibram, chocam-se com as outras, fazendo-as vibrar também, desmistificando a idéia criada de que as microondas cozinhavam os alimentos de dentro para fora.

Em 1947, o primeiro forno de microondas chegou ao mercado norte-americano. As primeiras unidades chegavam a medir 1,68m de altura, pesavam em torno de 340kg e custavam cerca de cinco mil dólares. Para se ter uma idéia, o resfriamento do magnetron (dispositivo conhecido como o "coração" do microondas, que transforma energia elétrica em ondas eletromagnéticas) era feito com água, através de instalações de chumbo.

No início, a aceitação por parte dos consumidores foi limitada. Após algumas melhorias, o forno de microondas alcançou um novo nível de aceitação, principalmente, por parte do setor industrial que passou a reconhecer seu potencial e versatilidade, dando às microondas novas aplicações, como, por exemplo, secar cortiça, cerâmica, papel, couro, tabaco, têxteis e flores.

Em 1975, as vendas dos fornos de microondas nos Estados Unidos foram maiores que as do fogão a gás. E, em 1976, tornaram-se o utensílio de cozinha mais comum que a lavadora de louças, presente em, aproximadamente, 60% dos lares norte-americanos, o que corresponde a cerca de 52 milhões de residências.

O forno de microondas é considerado como uma importante conquista para o lar, apresentando certas vantagens sobre o forno convencional (elétrico ou a gás). Entre elas podemos destacar:

  • é um produto prático, apropriado para a vida corrida dos habitantes das grandes cidades;
  • é muito mais rápido para esquentar comida, pois não necessita de pré-aquecimento;
  • não suja o ambiente e é mais fácil de limpar;
  • usa menos louça, pois o mesmo recipiente utilizado para cozinhar pode ser levado à mesa;
  • ocupa menos espaço na cozinha;
  • as microondas não alteram o valor nutritivo das alimentos e ainda preservam suas vitaminas e minerais, pois quase não exigem água para cozimento.

Como o corpo humano é constituído basicamente por água e gorduras, as microondas podem causar queimaduras profundas em nosso organismo, assim como fazem com os alimentos, no caso da ocorrência de vazamentos.

De acordo com literatura norte-americana, ninguém sabe ao certo qual o nível de exposição considerado seguro.

microondas2.gif (34635 bytes)

Alguns laboratórios consideram que a exposição à radiação, mesmo em baixo nível, pode ter efeitos cumulativos aos olhos, podendo provocar catarata. A pesquisa realizada também faz citações quanto a uma possível ligação com o câncer.

A norma internacional, utilizada como base para realização dos ensaios, estabelece nível máximo de exposição às microondas de até 5 miliwatts por centímetro quadrado como seguro para os usuários.

Com base nos fatos apresentados, o Inmetro decidiu realizar análise de conformidade em amostras de modelos de 09 (nove) diferentes marcas de fornos de microondas, que foram submetidas a uma série de ensaios que verificaram se o produto oferece riscos à segurança dos usuários.

Normas e Documentos de Referência

Para a realização dos ensaios foram utilizadas as seguintes normas:

  • NBR NM-IEC 335-1, de novembro de 1998: Segurança de Aparelhos Eletrodomésticos e Similares – Parte 1: Requisitos Gerais
  • IEC 335-2-25, de julho de 1996: Safety of Household and Similar Electrical Appliances – Part 2: Particular Requirements for Microwave Ovens

Laboratório Responsável pelos Ensaios

Os ensaios de segurança foram realizados pelo Laboratório de Avaliação Elétrica do Instituto de Pesquisas Tecnológicas – IPT, em São Paulo.

Marcas  Analisadas

A análise foi precedida de uma pesquisa de mercado realizada nos Estados do Rio de Janeiro e de São Paulo, que identificou diferentes modelos de 09 (nove) marcas de diferentes fabricantes de forno de microondas.

Informações sobre as marcas analisadas

Com relação às informações contidas na Home Page sobre os resultados dos ensaios, você vai observar que identificamos as marcas dos produtos analisados apenas por um período de 90 dias. Julgamos importante que você saiba os motivos:

  1. As informações geradas pelo Programa de Análise de Produtos são pontuais, podendo ficar desatualizadas após pouco tempo. Em vista disso, tanto um produto analisado e julgado adequado para consumo pode tornar-se impróprio, como o inverso, desde que o fabricante tenha tomado medidas imediatas de melhoria da qualidade, como temos freqüentemente observado. Só a certificação dá ao consumidor a confiança de que uma determinada marca de produto está de acordo com os requisitos estabelecidos nas normas e regulamentos técnicos aplicáveis. Os produtos certificados são aqueles comercializados com a marca de certificação do Inmetro, objetos de um acompanhamento regular, através de ensaios, auditorias de fábricas e fiscalização nos postos de venda, o que propicia uma atualização regular das informações geradas.
  1. Após a divulgação dos resultados, promovemos reuniões com fabricantes, consumidores, laboratórios de ensaio, ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnica e outras entidades que possam ter interesse em melhorar a qualidade do produto em questão. Nesta reunião, são definidas ações para um melhor atendimento do mercado. O acompanhamento que fazemos pode levar à necessidade de repetição da análise, após um período de, aproximadamente, 1 ano. Durante o período em que os fabricantes estão se adequando e promovendo ações de melhoria, julgamos mais justo e confiável, tanto em relação aos fabricantes quanto aos consumidores, não identificar as marcas que foram reprovadas.
  1. Uma última razão diz respeito ao fato de a internet ser acessada por todas as partes do mundo e informações desatualizadas sobre os produtos nacionais poderiam acarretar sérias conseqüências sociais e econômicas para o país.

Ensaios Realizados e Resultados Observados

De acordo com solicitação do laboratório, foi comprada uma amostra de cada uma das marcas selecionadas para ser submetida aos ensaios que verificam questões relacionadas à segurança do usuário, que foram subdivididos nas seguintes categorias:

  1. Marcações e Instruções
  2. Esta categoria verifica se todas as informações necessárias sobre o produto estão disponíveis no corpo do aparelho ou no manual de instruções.

    O corpo do aparelho deve trazer, marcado de forma duradoura e legível, especificações técnicas sobre o produto como, por exemplo, sua potência ou corrente nominal e a tensão em que tem que ser ligado na rede elétrica.

    Além disso, o manual de instruções deve trazer todas as informações relevantes sobre o aparelho, principalmente, sobre a sua instalação, utilização e manutenção, de modo que ele possa ser utilizado com segurança. O manual deve ser redigido de forma clara e em português.

    No caso específico dos fornos de microondas, as normas utilizadas enumeram 41 (quarenta e uma) informações classificadas como obrigatórias por estarem relacionadas a questões que envolvem a segurança dos usuários e que, portanto, devem estar presentes no corpo do aparelho e/ou no manual de instruções do produto.

    Nesta categoria de ensaio, todas as amostras dos modelos analisados foram consideradas "Não Conformes", ou seja, pelo menos uma destas informações estava ausente do manual ou da etiqueta fixada no aparelho.

    A ausência das informações sobre a instalação do aparelho no caso de embutimento, e sobre o procedimento quanto à troca do cordão de alimentação (fio) foram as que tiveram o maior índice de ocorrência.

  3. Detalhes Construtivos

Os ensaios que pertencem a essa categoria são:

Proteção contra Choques Elétricos:

Neste ensaio são utilizados dispositivos (dedo padrão e dedo padrão miniatura) que verificam, através de simulações, se o aparelho oferece proteção adequada contra contatos acidentais com partes que possam expor os usuários a choque elétrico (partes vivas) durante qualquer tipo de operação, seja durante uma simples limpeza do aparelho ou por uma atividade anormal como, por exemplo, pela inserção de uma ferramenta ou do próprio dedo no interior da carcaça do aparelho.

De acordo com a norma, os dispositivos utilizados não devem tocar nenhuma parte viva do aparelho.

A amostra de uma das marcas foi considerada "Não Conforme" pois o dedo miniatura, que simula o tamanho do dedo de uma criança, toca o terminal de alta tensão na parte inferior do aparelho e, portanto, oferece risco de choque elétrico ao usuário durante, por exemplo, sua limpeza.

Seção Transversal dos Condutores:

Este ensaio verifica se a fiação utilizada está corretamente dimensionada para a corrente elétrica que alimentará o aparelho. A fiação inadequada pode causar superaquecimento do forno de microondas e redução do tempo de vida dos condutores.

Neste ensaio, os modelos de 03 (três) marcas foram considerados "Não Conformes" pois o fio fase e o fio terra possuíam diâmetro inferior ao permitido pela norma. Outras cinco marcas foram considerados Não Conformes por apresentarem o diâmetro do fio terra mais fino que o especificado.

Potência de Entrada e Corrente:

Este ensaio verifica, através da medição das potências de entrada e de saída dos aparelhos, se o consumo de energia das amostras dos modelos analisados corresponde às especificações indicadas pelos fabricantes. Quanto menor o valor encontrado durante os ensaios, menor será o consumo de energia e, consequentemente, mais econômico será o produto.

Além disso, a divergência entre os valores da potência medida e da indicada pelo fabricante pode trazer riscos à segurança do usuário. Se a potência medida for maior que a indicada, existe o risco de sobrecarregar e queimar a instalação elétrica.

Dos 09 (nove) modelos analisados, 04 (quatro) foram considerados "Não Conformes" por apresentarem desvios, superiores ao permitido pela norma, entre os valores da potência medida e os da indicada pelo fabricante.

  1. Fuga de Microondas

Essa categoria verifica, através da realização de ensaios que simulam o funcionamento do aparelho, não só em condições normais, como também em situações críticas (operação anormal), se há o vazamento da radiação de microondas, o que corresponderia a um risco direto à segurança dos consumidores.

Durante os ensaios sob condições críticas, as amostras são submetidas a situações de má utilização do produto por parte dos usuários. É importante destacar que os manuais de instruções devem alertá-los quanto à utilização correta e segura do aparelho, porém, devem descrever procedimentos de segurança no caso da ocorrência de acidentes.

Dentre os ensaios, são simuladas diversas situações, como, por exemplo, em que:

  • o aparelho opera em vazio, ou seja, se o usuário ligar o aparelho por acidente, ou esquecer de colocar o alimento dentro do forno;
  • é colocada uma folha de papel entre a porta e o aparelho;
  • é derramado óleo de cozinha na porta, simulando alimentos gordurosos, ou excesso de sujeira;
  • há deformação dos cantos da porta, no caso do usuário se apoiar, podendo danificar a vedação do forno;
  • alimento inflama, neste caso, verifica se as chamas são extintas no interior da cavidade do forno.

Após a realização de cada um dos ensaios, é feita a medição para verificar se há vazamento de radiação.

Este ensaio verifica a vedação e o sistema automático de desligamento do forno que deve ser acionado quando as travas da porta são submetidas à uma tração durante seu funcionamento para evitar vazamento da radiação.

No ensaio onde uma força é aplicada nos cantos da porta do forno durante seu funcionamento, a amostra de uma das marcas foi considerada Não Conforme por apresentar vazamento de microondas superior ao máximo permitido pela norma.

Além do valor de 19,9 mW/cm2, a mesma amostra apresentou dois outros pontos onde o valor do vazamento de microondas foi superior ao máximo permitido pela norma (14,6 e 16,1mW/cm2). Estes três valores de fuga foram encontrados no lado superior da porta do forno.

Por se tratar de resultado preocupante, por estar diretamente relacionado à segurança e à saúde do consumidor, o Inmetro decidiu repetir o ensaio em outra amostra da mesma marca e modelo, a fim de identificar a extensão da não conformidade encontrada, ou seja, se ela se refere ao modelo ou se restringe à amostra analisada.

Nesta nova amostra, o máximo de vazamento de microondas detectado foi 3,2 mW/cm2.

Comentários

O setor eletro-eletrônico, tem elaborado manuais de instrução cada vez mais educativos, ou seja, com ilustrações e linguagem bem simples, com dicas de como instalar e fazer a manutenção do produto, etc. Enfim, todas as informações objetivam "educar" o consumidor sobre como instalar, utilizar e conservar o produto de maneira correta e segura.

No caso do forno de microondas, os manuais são verdadeiros "livros", dada a quantidade de informações neles presentes. Informações que variam desde dados técnicos sobre o produto até receitas para o preparo de pratos deliciosos. As questões envolvendo a segurança dos usuários também não foram esquecidas.

Nos manuais das amostras analisadas, todos foram unânimes em ressaltar cuidados que o usuário deve ter com o seu forno de microondas. Abaixo listamos as recomendações que aparecem com maior freqüência quanto a:

  1. Instalação:

O forno deve ser instalado:

  • em local bem ventilado, fora do alcance dos raios solares ou fontes de irradiação de calor (fogão, por exemplo) e de umidade (torneiras, por exemplo);
  • longe de aparelhos de TV e de rádio, pois poderão sofrer a interferência;
  • em uma superfície sólida e plana;
  • respeitando as distâncias mínimas exigidas pelo fabricante, de modo que a saída de ar não seja obstruída, o que reduziria o rendimento e provocaria o superaquecimento do aparelho.
  1. Manutenção:

Para garantir a conservação do aparelho, o usuário deve, quando for limpá-lo:

  • retirar o plugue da tomada;
  • usar somente pano úmido com sabão ou detergente neutro (limpeza interna);
  • nunca usar produtos abrasivos, sabão em pasta ou removedores, por exemplo, a fim de evitar danos ao produto;
  • aquecer uma pequena jarra com água por 3 a 4 minutos na potência máxima para remover resíduos mais difíceis;
  • limpar imediatamente qualquer líquido ou alimento derramado dentro do forno para evitar manchas.
  1. Recomendações Especiais:
  • Não ligue o forno de microondas se ele estiver vazio. Recomenda-se a utilização de um copo com água no seu interior quando ele não estiver em uso, caso o forno seja acionado acidentalmente;
  • Não utilize o interior do forno para secar roupas ou guardar utensílios;
  • Não utilize o forno se a dobradiça, o trinco ou a vedação da porta estiverem danificados;
  • Não utilize o forno em ambientes externos;
  • Use sempre luvas térmicas para retirar os alimentos de dentro do forno para evitar queimaduras;
  • Alimentos com pele, casca ou membrana, como tomate, batata, salsicha, pimentão, etc, devem ser perfurados com um garfo antes de irem ao forno, pois poderão explodir;
  • Embalagens totalmente fechadas não devem ser aquecidas no forno, pois poderão explodir;
  • Alimentos com pouca umidade, como amendoim, pão, etc, não devem ficar muito tempo dentro do forno, pois poderão inflamar-se. Se isso acontecer, retire o plugue da tomada e mantenha a porta do forno fechada até que a chama se apague;
  • Não coloque qualquer objeto entre a porta e o batente do forno, nem permita que resíduos de alimentos ou outros detritos acumulem-se nas superfícies das travas de segurança para não prejudicar a vedação do forno;
  • Quando aquecer alimentos para bebês e crianças, como mamadeiras, por exemplo, certifique-se de que a temperatura do alimento esteja adequada antes de serví-lo, evitando o risco de queimaduras;
  • No aquecimento de líquidos, é possível que ocorra o fenômeno da erupção retardada, ou seja, alguns segundos após o término da operação, o líquido pode entrar em ebulição, em função do choque térmico, espirrar e causar queimaduras;
  • Não utilize recipientes metálicos, nem com detalhes em metal, pois o metal reflete as microondas, prejudicando o desempenho do aparelho, podendo causar faiscamentos que danificam a cavidade do forno.

Diante do exposto acima, a mais importante recomendação que deve ser dada a todo consumidor que adquire um produto eletro-eletrônico novo é: "Leia atentamente o manual de instruções que acompanha o produto antes mesmo de instalá-lo!".

Conclusões

Os resultados dos ensaios realizados nas amostras de Forno de Microondas evidenciam que a tendência, em termos da qualidade, dos produtos encontrados no mercado nacional é de apresentarem-se em desacordo com os parâmetros verificados das normas de segurança utilizadas.

Como pode ser observado pela análise dos resultados obtidos, todas as marcas foram consideradas não conformes em, pelo menos, uma das categorias verificadas.

Considerando que as não conformidades apresentam níveis de criticidade variáveis, apenas em uma das amostras foram encontradas não conformidades que referem-se apenas à ausência de informações e instruções.

Em contrapartida, os modelos de 08 (oito) marcas apresentaram problemas de caráter construtivo, com nível de criticidade maior e, portanto, oferecendo risco à segurança dos usuários, com destaque para a que apresentou risco de choque elétrico.

Além disso, foi grande o número de marcas que, por deficiência na fiação, podem causar superaquecimento do aparelho.

No requisito ligado a fuga de microondas, que é o que apresenta maior criticidade, das nove marcas analisadas, a amostra de uma das marcas foi considerada não conforme por apresentar valores de vazamento de radiação até duas vezes maiòr que o máximo permitido pela norma. Na segunda amostra analisada, o nível de vazamento encontrado estava dentro dos limites permitidos em norma.

A conclusão, em relação a esta amostra, é que houve deficiência em termos de Controle de Qualidade, na medida que liberou produto em desacordo com a norma, em requisito critico em termos de segurança.

Durante a fase de posicionamento, os fabricantes entraram em contato com o Inmetro, reconhecendo as não conformidades, e assumiram fazer as mudanças necessárias, demonstrando o comprometimento do setor em atender aos requisitos da norma e a preocupação com a segurança dos consumidores.

Conseqüências

DATA

AÇÕES

26/03/2000 Divulgação no Programa "Fantástico" - Rede Globo de Televisão

 

Acessibilidade
Acidente de Consumo: relate seu caso
Alerta Exportador!
Anuência - Importação
Atividades de Ensaios de Proficiência do Inmetro
Biocombustíveis
Carta de Serviços ao Cidadão
Cartilha Plugues e Tomadas
Consultas Públicas
Documentos Orientativos sobre Certificação ISO 9001:2008
Empresas Certificadas ISO 9001/14001
Indique! Sugestão para o Programa de Análise de Produtos
Instaladores Registrados de Gás Natural Veicular (GNV)
Mapa de Localização do Campus
Marca, Símbolos e Selos Inmetro
Organismos de Certificação e de Inspeção Acreditados
Ouvidoria
Padronização de Produtos Pré-Medidos
Plugues e Tomadas
Portarias e Regulamentos Técnicos Metrológicos e de Avaliação da Conformidade
Produtos Analisados
Produtos e Serviços com Conformidade Avaliada
Programa Brasileiro de Avaliação da Conformidade - PBAC
Publicações
Sistema de Consulta de Recalls (DPDC)
Tabelas de Eficiência Energética - PBE


Nossos Endereços

  • Prédio da Rua Santa Alexandrina

    PABX: (21) 2563-2800

    Rua Santa Alexandrina, 416

    Rio Comprido - Rio de Janeiro - RJ

    CEP: 20261-232

  • Campus Xerém

    PABX: (21) 2679-9001

    Av. Nossa Senhora das Graças, 50

    Xerém - Duque de Caxias - RJ

    CEP: 25250-020

  • Prédio da Rua Estrela

    PABX: (21) 3216-1000

    Rua Estrela, 67

    Rio Comprido - Rio de Janeiro - RJ

    CEP: 20251-900

  • Superintendência de Goiás - Surgo

    PABX: (62) 3237-3500

    Av. Berlim, 627

    Setor Sul - Goiânia - GO

    CEP: 74170-110

  • Brasília

    PABX: (61) 3340-1710

    EQN 102/103 - Lote 1, Asa Norte

    Brasília - DF

    CEP: 70722-400

  • Superintendência do R. G. do Sul - Surrs

    PABX: (51) 3342-1155

    Rua 148, s/nº

    São Geraldo - Porto Alegre - RS

    CEP: 90240-581

Inmetro © 1993 - 2012. Todos os direitos reservados.