Portal do Governo Brasileiro
Página InicialInformações ao ConsumidorProdutos AnalisadosCachaça
Produtos analisados
Relatório Sobre Análise em Garrafas Térmicas Para Uso Doméstico Relatório Sobre Análise em Garrafas Térmicas Para Uso Doméstico
Fique Atento
  
.: Cachaça :.

Resumo da Análise
Normas e Documentos de Referência
Metodologia da Análise
Laboratórios
Marcas Analisadas
Resultado das Análises
Conseqüências


Resumo da Análise

Em 14/11/96, foi concluída a análise em aguardente de cana ou cachaça, que na verdade, segundo a legislação aplicável, são produtos similares porém distintos. A decisão de ensaiar aguardentes ou cachaças foi motivada por algumas denúncias de que, eventualmente, poderiam estar contaminadas, em particular com metanol ou cobre, ou "batizadas", o que significa possuírem teor alcoólico abaixo do exigido pela legislação em vigor, devido a mistura com água. Buscou-se, portanto, fazer uma análise da tendência em termos de qualidade desse produto.

Observação Importante:
Em 1996, quando essa análise foi  realizada no âmbito do Programa de  Análise de Produtos, a definição de  cachaça aqui apresentada era a definida  pelo órgão egulamentador, o MAPA.  Posteriormente à análise, a definição de cachaça foi alterada, podendo ser  encontrada tanto na IN nº 13, de  29/06/2005 do MAPA quanto no RAC  anexo à Portaria Inmetro nº 276 de  24/09/2009.
 

Normas e Documentos de Referência

Decreto 73.267, de 06/12/73, estabelecido pelo Presidente da República

Portaria 371 do Ministério da Agricultura, publicada no D.O.U. de 19/09/74.

Metodologia da Análise

Os ensaios verificaram a conformidade das aguardentes de cana e das cachaças segundo a legislação aplicável.

A diferença básica entre a aguardente de cana e a cachaça está na origem da matéria prima. Enquanto a aguardente de cana é feita diretamente a partir do destilado da cana, a cachaça é feita a partir do melaço resultante da produção de açúcar de cana.

Foram analisados os seguintes requisitos estabelecidos na legislação:

a) Teor alcoólico (entre 38 e 54° GL).

Este requisito está relacionado à quantidade de água adicionada à cachaça. A legislação permite a adição de água potável, dentro de certos limites. Muita água implica em baixo teor alcoólico, ou seja, o consumidor está comprando água como cachaça.

b) Impurezas Totais Voláteis "Não Álcool" ( não podem ser inferior a 0,200g e nem superior a 0,650 g por 100 ml).

As impurezas totais representam a soma de aldeídos, ácidos voláteis, ésteres, furfural e álcoois superiores. O limite máximo está associado ao fato de constituírem impurezas, ao passo que o limite inferior está associado ao fato de que tais impurezas na verdade constituem o chamado "bouquet" da aguardente ou cachaça. O "bouquet" influência no aroma, no sabor e na consistência do produto. O enquadramento nos limites de impurezas totais, exigidos na legislação, é alcançado pelos chamados "cortes", que são feitos pela mistura com destilados de igual natureza unicamente na proporção necessária.

c) Aditivos Incidentais.

São eles o álcool metílico, que não pode ser superior a 0,25 ml (mililitros) por 100 ml de álcool anidro e o cobre, que não pode ser superior a 5 mg (miligramas) por litro. Ambos são extremamente tóxicos ao organismo humano, sendo que o metanol provoca além de lesões hepáticas a intoxicação neurológica, que pode variar desde um nível de sedação até o estado de convulsão, dependendo da dose ingerida, e o cobre a cirrose hepática, que em função de um dos seus sintomas é popularmente conhecida como "pé inchado".

d) Rotulagem.

A análise da rotulagem foi feita em relação aos requisitos do Decreto 73.267, que faz exigências específicas em relação às cachaças e às aguardentes de cana, e em relação ao Código de Defesa do Consumidor - CDC.

Laboratórios

LABORATÓRIOS

TELEFONE

FAX

CONTATO

ENDEREÇO

Laboratório Nacional de Referência Vegetal do Ministério da Agricultura - Laboratório de Bebidas e Vinagres - LABV/RJ (021)284-5646

(021)/284-2593

(021)284-5646 José Diocleciano Peixoto

Neide Cléia Ribeiro

Av. Maracanã, 252

Maracanã - RJ

CEP: 20271-110

 

Marcas Analisadas

 

Com relação às informações contidas na homepage sobre o resultados dos ensaios, você vai observar que identificamos as marcas dos produtos analisados apenas por um período de 90 dias. Julgamos importante que você saiba os motivos:

  • As informações geradas pelo Programa de Análise de Produtos são pontuais, podendo ficar desatualizadas após pouco tempo. Em vista disso, tanto um produto analisado e julgado adequado para consumo pode tornar-se impróprio, como o inverso, desde que o fabricante tenha tomado medidas imediatas de melhoria da qualidade, como temos freqüentemente observado. Só a certificação dá ao consumidor a confiança de que uma determinada marca de produto está de acordo com os requisitos estabelecidos nas normas e regulamentos técnicos aplicáveis. Os produtos certificados são aqueles comercializados com a marca de certificação do Inmetro, objetos de um acompanhamento regular, através de ensaios, auditorias de fábricas e fiscalização nos postos de venda, o que propicia uma atualização regular das informações geradas.
  • Após a divulgação dos resultados, promovemos reuniões com fabricantes, consumidores, laboratórios de ensaio, ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnica e outras entidades que possam ter interesse em melhorar a qualidade do produto em questão. Nesta reunião, são definidas ações para um melhor atendimento do mercado. O acompanhamento que fazemos pode levar à necessidade de repetição da análise, após um período de, aproximadamente, de 1 ano. Durante o período em que os fabricantes estão se adequando e promovendo ações de melhoria, julgamos mais justo e confiável, tanto em relação aos fabricantes quanto aos consumidores, não identificar as marcas que foram reprovadas.
  • Uma última razão diz respeito ao fato de a INTERNET ser acessada por todas as partes do mundo e informações desatualizadas sobre os produtos nacionais poderiam acarretar sérias conseqüências sociais e econômicas para o país.

Resultado das Análises

As análises efetuadas revelaram que a tendência do mercado de aguardente é de atender aos requisitos de qualidade exigidos pela legislação.

Das dezesseis marcas ensaiadas, 3 marcas apresentaram não-conformidades físico-químicas e uma de rotulagem. Uma amostra apresentou teor alcoólico abaixo do exigido, o que denota adição exagerada de água, as outras duas marcas apresentaram teor de cobre acima do permitido, o que põe em risco a saúde dos consumidores, e uma outra marca informava, no rótulo, tratar-se de aguardente envelhecida, o que não foi confirmado na análise laboratorial.

Conseqüências

DATA

AÇÃO

08/12/1996

Divulgação no Programa Fantástico da Rede Globo de Televisão

Previsão de repetição da análise de conformidade para 2001.

 

Acessibilidade
Acidente de Consumo: relate seu caso
Alerta Exportador!
Anuência - Importação
Atividades de Ensaios de Proficiência do Inmetro
Biocombustíveis
Carta de Serviços ao Cidadão
Cartilha Plugues e Tomadas
Consultas Públicas
Documentos Orientativos sobre Certificação ISO 9001:2008
Empresas Certificadas ISO 9001/14001
Indique! Sugestão para o Programa de Análise de Produtos
Instaladores Registrados de Gás Natural Veicular (GNV)
Mapa de Localização do Campus
Marca, Símbolos e Selos Inmetro
Organismos de Certificação e de Inspeção Acreditados
Ouvidoria
Padronização de Produtos Pré-Medidos
Plugues e Tomadas
Portarias e Regulamentos Técnicos Metrológicos e de Avaliação da Conformidade
Produtos Analisados
Produtos e Serviços com Conformidade Avaliada
Programa Brasileiro de Avaliação da Conformidade - PBAC
Publicações
Sistema de Consulta de Recalls (DPDC)
Tabelas de Eficiência Energética - PBE


Nossos Endereços

  • Prédio da Rua Santa Alexandrina

    PABX: (21) 2563-2800

    Rua Santa Alexandrina, 416

    Rio Comprido - Rio de Janeiro - RJ

    CEP: 20261-232

  • Campus Xerém

    PABX: (21) 2679-9001

    Av. Nossa Senhora das Graças, 50

    Xerém - Duque de Caxias - RJ

    CEP: 25250-020

  • Prédio da Rua Estrela

    PABX: (21) 3216-1000

    Rua Estrela, 67

    Rio Comprido - Rio de Janeiro - RJ

    CEP: 20251-900

  • Superintendência de Goiás - Surgo

    PABX: (62) 3237-3500

    Av. Berlim, 627

    Setor Sul - Goiânia - GO

    CEP: 74170-110

  • Brasília

    PABX: (61) 3340-1710

    EQN 102/103 - Lote 1, Asa Norte

    Brasília - DF

    CEP: 70722-400

  • Superintendência do R. G. do Sul - Surrs

    PABX: (51) 3342-1155

    Rua 148, s/nº

    São Geraldo - Porto Alegre - RS

    CEP: 90240-581

Inmetro © 1993 - 2012. Todos os direitos reservados.